O Muro de Berlim

O Muro de Berlim – a queda de um muro…

muro-de-berlim

O agora desmoronado Muro de Berlim

No último dia 09 de novembro de 2009, comemorou-se vinte anos da queda do Muro de Berlim.

Para quem não se recorda, o Muro dividia a Alemanha em duas, a Comunista e a Capitalista, a queda do referido Muro representou o fim da Guerra Fria e a liberdade para os alemães orientais que eram proibidos de sair do país sem autorização, sem possibilidade até mesmo de encontrar parentes que viviam em Berlim Ocidental.

O fato representa muito em nossa história recente e mostra que o ser humano é possível sim de atos de solidariedade, compaixão e fraternidade.

No entanto, temos que nos recordar de uma coisa, o Muro separava iguais que viviam sob ideologias políticas diferentes e que muitas vezes eram subjugados em seus direitos, em especial ao direito de ir e vir. E só!

O mundo ainda não se livrou da maior muralha que separa os seres humanos, o preconceito.

O preconceito tal qual uma barreira divide os diferentes de raça, credo e cor segregando-os socialmente em diferentes situações, como os imigrantes na Europa, os negros nos EUA, a intolerância entre palestinos e israelenses e, por que não, os pobres dos ricos em nível mundial.

A indeferença com a qual tratamos os menos favorecidos chega a ser engraçada porque sempre inventamos campanhas de combate à fome, de combate à AIDS, de combate à própria pobreza, mas nunca criamos uma de combate ao nosso próprio egoísmo!

É triste saber que enquanto estou aqui escrevendo, e algum de vocês para quem eu enviei este ensaio está lendo, há uma pessoa dormindo ao relento, passando fome ou sofrendo por alguma doença adquirida por falta de condições de saúde.

Talvez seja a linha da evolução, talvez realmente este seja o destino do ser humano, como é de muitos animais e de todo o ciclo evolutivo. Talvez estes sentimentos que possuímos de compaixão e fraternidade sejam frágeis ante a nosso egoímos propositalmente por Aquele que escreveu nossa história.

Talvez…

Talvez Darwin não saiba nada de evolução e tenhamos que reescrever a nossa própria história, derrubando os muros internos que nos separam das boas ações, que nos isolam da solidariedade, que nos fazem esquecer que somos egoístas…

Mas tudo bem, estamos celebrando a queda do Muro de Berlim, mas não a vitória de nossas virtudes, pelo menos não agora, até porque aquele demorou vinte e oito anos para cair, já os nossos muros podem demorar a eternidade…

Anúncios

2 respostas em “O Muro de Berlim

  1. É o sonho maior, né…
    Mas acho que é a linha da evolução que segue impiedosa. Uns se tocam logo da verdade maior, outros demoram mais..daí que vem a necessidade da tolerância, compaixão e acima de tudo, da paciência.

    Pensamento positivo: a gente chega lá…

    =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s