O caso Nardoni

Aprendemos muito a política romana aqui no Brasil...

Aprendemos a todo dia a política romana aqui no Brasil

Está em trâmite o julgamento de Alexande Nardoni e Ana Carolina Jatobá acusados de terem assassinado a menina Isabella, filha do primeiro.

O caso ganhou enorme repercussão, aliás, talvez seja o julgamento mais famoso da década do Judiciário Brasileiro, com cobertura integral da imprensa escrita, televisiva e eletrônica.

Para se ter uma idéia, as conversas de balcão de padarias, de bancas de jornal e pontos de ônibus não são sobre as novelas globais nem sobre o Big Brother, mas sim sobre o desfecho do julgamento.

Minha mãe, por exemplo, só fala nisso. Acompanha a TV e jornais, pergunta a todo momentos sobre coisas técnicas que são faladas e emite opinião sempre que há alguma controvérsia, sempre em favor da condenação do casal.

Ela é o reflexo da população brasileira.

Óbvio que o assassinato da menina Isabella foi de crueldade ímpar, óbvio que os responsáveis pelo crime devem ser punidos de forma impiedosa, óbvio que um caso em que um pai é acusado de matar a própria filha de maneira tão desumana causa furor popular…mas peraí, também não é para o circo que foi armado.

Como todo o resto da sociedade brasileira, também acho que o Sr. Alexandre Nardoni é culpado mesmo sem a proximidade técnica que qualquer parecer jurídico exige…

Aliás, considero o Sr. Nardoni também culpado pelo mensalão estadual do Distrito Federal e do mensalão federal, bem como é o causador de todas mazelas que acontecem na política brasileira.

Não tenho dúvidas também que o Sr. Nardoni é culpado pela minha conta bancária viver no vermelho, do terremoto no Chile e quiçá é quem está causando o aquecimento do planeta com o conseqüente derretimento das calotas polares.

E mais, estudos indicam também que o Sr. Alexandre Nardoni teria puxado o coro – “Libertem Barrabás”! – há 2010 anos atrás!!!

Ora, estão tratando o caso como se o único problema do brasileiro fosse o deslinde do julgamento, como se todos os brasileiros tivêssemos interesse no desfecho do processo e como se nossa vida dependesse disso.

E o pior é que a culpa não é da imprensa…ela apenas vende o que o povo quer comprar, e, no caso, é o acompanhamento deste julgamento.

Quantas e quantas crianças não foram assassinadas pelos pais? Quantas e quantas crianças não são abusadas sexualmente pelos pais? Quantas crianças não morrem de fome ou por falta de cudados médicos no país? Quantos problemas o país não enfrenta dia-a-dia?

E em nenhum outro caso vejo tamanha comoção quanto no julgamento do casal Nardoni!

Se o povo se manifestasse assim, de forma coesa, com furor e comoção sempre que tivêssemos problemas em nosso país, não estaria eu aqui criticando a posição popular.

Somos um povo acostumados com distrações fúteis e coisas supérfluas, gostamos disso. Vem desde o tempo em que a Ditadura Militar nos fazia engolir as palmas após o hino nacional para não inflar patriotismo, mas procurava aparecer quando a Seleção de Futebol foi campeã mundial em 1970 (aí sim existia patriotismo!) e ninguém via isso.

Nós brasileiros gostamos de esquecer dos problemas e discutir sobre novelas da globo, sobre quem irá vencer no BBB, sobre a vida dos jogadores de futebol, artistas e cantores e até sobre a vida amorosa de nossos conhecidos, mas nos unirmos para fazer o nosso país um lugar melhor, ah, não, isso dá muito trabalho…!!!

Muitas vezes me parece que o brasileiro é adepto da antiga política Romana do Pão e Circo criada pelo Imperador Otávio Augusto (posso estar equivocado), basta dar comida e diversão que todos ficam felizes e satisfeitos…parecendo autênticos palhaços!

Anúncios

2 respostas em “O caso Nardoni

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s