FELICIDADE GOURMET

felicidade3

Imagem: revistagalileu.globo.com

A vida não está fácil, nem pra mim, nem pra você, nem pra ninguém; mas vamos combinar, nunca esteve, mas parece que estamos menos preparados que as gerações passadas para lidarmos com frustrações e dificuldades cotidianas.

Dá a impressão que viemos ao mundo para brilhar, para desfrutar os prazeres mundanos e que é um direito nosso gozar a vida e não enfrentá-la.

À medida que experimentamos pequenos fracassos,  passamos a considerar essa coisa de viver meio desestimulante e os problemas começam a parecer pombos com mira laser sobrevoando nossas a gente num descampado e interminável caminho até o desfrute, pois, para chegar lá, muita merda vai cair sobre nossas cabeças!

Talvez nos sintamos assim porque desde pequenos criamos essa expectativa de que mereçamos a “gozolândia” e por causa disso mesmo é que hoje em dia tratemos pequenos desgastes diários como distúrbios emocionais, usando terapia e tarja preta para enfrentá-los, porque preferimos a fuga ao invés de resolvê-los.

Depressão, ansiedade, pânico, transtornos, fobias e dentre outras, já não são mais exclusivas de enciclopédias médicas ou daquele tio de que você não ouvia falar há anos, são doenças gravíssimas que nos assolam e devem ser cuidadas com seriedade e respeito por aqueles que são acometidos.

Mas, convenhamos, muitas vezes deixamos meros aborrecimentos se tornarem maiores do que realmente são.

Às vezes passar por certos dissabores é necessário, é amadurecimento, é crescimento.

Entretanto, o grau de insatisfação com a própria vida anda tão alto que uma discussão com alguém do trabalho já vira motivo de papo na terapia, uma promoção na carreira não obtida, se torna uma infelicidade só, dentre outras coisas que eu, você e todos os outros nos deixamos levar pelas frustrações.

O ser humano é sim um ser insatisfeito por natureza, mas também não podemos deixar essa insatisfação tomar conta de nossa força de vontade, otimismo e alegria.

Desde que nos permitamos fracassar, é normal não estar plenamente satisfeito com sua vida, mas não devemos nos escravizar para obter as conquistas ou martirizar pelas derrotas.

Dá a impressão que a cobrança para nos sentirmos felizes é ainda muito maior nos tempos das redes sociais.

Parece que todos estão muito bem consigo mesmo, menos você que não aparece com um sorriso estampado nas fotos de facebook seguidas de  “QueAFelicidadeVireRotina” e “PartiuSerFeliz”.

Hoje em dia criou-se a figura da felicidade gourmet, em que o rótulo vale mais que o conteúdo, é mais importante mostrar a todos que está feliz do que realmente se sentir assim, o que vem derrubando nossa capacidade de mostrar pra vida quem é que manda.

Assim, acabamos dando aos problemas uma proporção muito maior do que eles têm e, por outro lado, deixamos de saborear as verdadeiras conquistas que nos importam.

Portanto, quando parecer que a vida conspira contra você, lembre-se, os aborrecimentos só se perpetuam se permitirmos, pois nossos destinos são governados pelas escolhas que fazemos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s