DOIS MESES

Foi um começo despretensioso, admito.
Um sorriso, um carinho, um beijo,
Um enlace de cinturas e desejo,
mas nada muito mais que isso.

Deixou-me claro: “é só diversão”
E eu me deixei levar pelo ensejo
De me inebriar com seus gracejos
E me perdi na minha razão

O beijo então virou um vício
Uma questão de idolatria
Quando mais me dava, mais queria
E não lhe ter era desperdício

Lembro que não somos siameses
Mas bem que parecia
Pois tantas coisas juntos fizemos e eu diria
“Nem parece que são só dois meses”

Mas agora eu me questiono,
Seria apenas uma paixão voraz
Ou um desejo que não se satisfaz?
Realmente não sei o que somos.

Só sei que dois meses é pouco para tanto sentimento
Agora quero muito mais,
Pois o que sinto não é fugaz
Com o que é efêmero, não me contento.

Não se preocupe que sei o meu lugar
Mas não desistirei de você
Enquanto me quiser e eu lhe querer
Seus olhos eu chamarei de lar

Porque se é pretensão eu lhe amar
Pois que seja, não vou esconder,
Pois algo tão forte que não pára de crescer
Não se pode cercear.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s